Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Projetos de Pesquisa
Início do conteúdo da página

Projetos de Pesquisa

Escrito por Campus Camaqua | Publicado: Quarta, 03 de Julho de 2019, 11h49 | Última atualização em Sexta, 05 de Julho de 2019, 09h05 | Acessos: 37142

ESTUDO PARA TRATAMENTO E USO DE ÁGUAS PLUVIAIS CAPTADAS NO CÂMPUS CAMAQUÃ DO IFSUL
Coordenador: Isabel Gomes Ayres
Área do Conhecimento   ENGENHARIA SANITÁRIA (ENGENHARIAS)
 
Um dos principais problemas ambientais enfrentados na contemporaneidade refere-se ao manejo inadequado dos recursos hídricos. Fatores com o aumento pela demanda e o desperdício de água, bem como a poluição de reservatórios superficiais e subterrâneos são algumas das causas desta problemática. Diante de uma eminente crise mundial relacionada a água, inúmeras iniciativas têm sido desenvolvidas no intuito de fomentar o uso racional dos recursos hídricos. Uma destas iniciativas refere-se à captação e ao uso de águas pluviais para fins que dispensem o atendimento de padrões de potabilidade. Contudo, não raro, as águas pluviais contêm elevada concentração de sólidos seja em decorrência da poluição atmosférica ou de sujidades arrastadas das áreas de coleta (cobertura de prédios) e/ou dos sistemas de captação. Em concentrações elevadas, estes sólidos podem provocar danos aos sistemas de transporte e de abastecimento, além de conferir aspecto e odor desagradável à água. Por vezes, estas características indesejáveis tornam-se entrave no uso de águas pluviais, uma problemática que vem sendo enfrentada pelo câmpus Camaquã do Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul). Todavia, a implementação de processos de tratamento, que podem incluir da adoção de protocolos de limpeza dos reservatórios (cisternas) à instalação de sistemas de filtração, podem amenizar os inconvenientes ocasionados pelos sólidos presentes nas águas pluviais. Com o intuito de melhorar a características físicas das águas pluviais captadas no câmpus Camaquã do IFSul, nesta pesquisa serão avaliados diferentes processos e protocolos de tratamento que visem reduzir a concentração de sólidos totais nas águas pluviais captadas na referida instituição. Ademais, com base na qualidade da água obtida por meio dos tratamentos avaliados, serão propostos diferentes usos para estas águas.


APROVEITAMENTO DA CASCA DE ARROZ PARA EXTRAÇÃO DE CELULOSE
Coordenador: Fedra Gidget Obeso Quijano Kruger
Área do Conhecimento QUÍMICA (CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA)
Bolsistas: Dyulia Chrusciel , Gabriele Kazanowski e Janaina dos Santos Hübner 

Essa pesquisa visa extrair celulose a partir da casca de arroz (Oryza sativa), um importante resíduo agrícola que representa cerca de 20% do peso total do arroz. Também visa estudar a aplicação que este material pode encontrar. 


PESQUISA INSTITUCIONAL INTERNA RELATIVA À PERMANÊNCIA, ÊXITO, EVASÃO E RETENÇÃO.
Coordenador: Sandra da Silva Machado
Área do Conhecimento: EDUCAÇÃO (CIÊNCIAS HUMANAS)

A Pesquisa institucional interna relativa à permanência, êxito, evasão e retenção tem como foco os estudantes do IFSul Câmpus Camaquã, sua relação com a instituição, com seus pares e com o curso técnico escolhido. Visa conhecer os discentes, acompanhá-los em seu processo de escolarização e detectar fragilidades que possam ocasionar a desistência dos estudos no Instituto, assim como fomentar possibilidades de alterações e/ou adaptações curriculares e metodológicas. A metodologia utilizada na implementação da mesma consiste na aplicação de questionários elaborados com temas específicos de acordo com os dados que se deseja obter, os dados obtidos serão analisados quanti e qualitativamente. Poderão ainda ser realizadas outras formas de intervenções, como rodas de conversa, grupo focal, entrevistas, entre outras. Como resultados almeja-se obter dados sistematizados sobre a realidade institucional com vistas a melhoria do processo educativo. A Pesquisa institucional interna relativa à permanência, êxito, evasão e retenção tem como foco os estudantes do IFSul Câmpus Camaquã, sua relação com a instituição, com seus pares e com o curso técnico escolhido. Visa conhecer os discentes, acompanhá-los em seu processo de escolarização e detectar fragilidades que possam ocasionar a desistência dos estudos na instituição, assim como fomentar possibilidades de alterações e/ou adaptações curriculares e metodológicas. A metodologia utilizada na implementação da mesma consiste na aplicação de questionários elaborados com temas específicos de acordo com os dados que se deseja obter, os dados obtidos serão analisados quanti e qualitativamente. Poderão ainda ser realizadas outras formas de intervenções, como rodas de conversa, grupo focal, entrevistas, entre outras. Como resultados almeja-se obter dados sistematizados sobre a realidade institucional com vistas a melhoria do processo educativo.


PROJETO GIF- USO DE GAMES COMO FERRAMENTAS EDUCACIONAIS

Coordenador: Luciano Beiestorf Rocha
Área do Conhecimento: Ciência da Computação
Bolsista: Mickael Vargas de Farias

Revistas,vídeo, televisão e internet,esses são alguns exemplos de mídias que, com o tempo, tornaram-se ferramentas educacionais. O avanço tecnológico atualmente é frenético, ele influencia todos os lados da sociedade e a escola não é diferente. Porém, existe uma área da computação que, apesar de algum tempo estar em ascensão, ainda não foi admitida como um artifício educacional. Esta área diz respeito aos jogos digitais. Os games comprovadamente desenvolvem o pensamento lógico, o raciocínio rápido, a criatividade, entre outros aspectos. Contudo, existe uma relutância na inserção de jogos eletrônicos no ambiente escolar, Além disso, o desenvolvimento de jogos digitais trabalha em conjunto com diversas áreas da informática, sendo um excelente objeto de estudo. No decorrer deste projeto será analisado, pesquisado e desenvolvido jogos eletrônicos que possibilitem a união da educação com o entretenimento, proporcionando aos alunos uma experiência de estudo mais dinâmica e instigante. Será utilizado no processo de criação, ferramentas livres, sem custo, desde os softwares de programação até as aplicações gráficas, visando a compatibilidade entre diferentes sistemas operacionais e redução de custos para possibilitar possível inserção nos laboratórios preexistentes das escolas públicas. Após estudo e definição das tecnologias a serem utilizadas será implementado um protótipo com o propósito de ser um exemplo prático do potencial das ferramentas de desenvolvimento escolhidas e ao mesmo tempo deixar claro o tipo de software proposto a ser utilizado em ambiente escolar.

Projeto de Inovação 

AQUAPONIA: A INTEGRAÇÃO DA PISCICULTURA E HIDROPONIA
Coordenador: Cristiano Centeno Specht
Área do Conhecimento: AGRONOMIA (CIÊNCIAS AGRÁRIAS)
Bolsistas: Eduardo Beckel Kohlbach Moreira e Rhauã Ribeiro Bierhals

Desde que avançamos como espécie humana, progredimos tecnologicamente. As produções agrícolas no mundo passaram-se caracterizar pelo uso intensivo de insumos industriais, mecanização e redução do custo de manejo. Com a progressiva devastação das florestas, a contaminação dos solos e das águas, nossa cultura sedenta por consumo, cada vez mais estimula a lógica de produção em detrimento do meio ambiente. A qualidade da própria vida humana à medida que a população aumenta, cresce a demanda por alimento e espaço. Dentro do que foi exposto acima este trabalho tem o objetivo de difundir e implementar a prática da aquaponia como um modo de produção autossuficiente de pescado e hortaliças sem gerar impacto ambiental, que promova a alimentação orgânica, livre de agrotóxicos, e utilizando menos de 10% da água usada no cultivo em solo. Além de evidenciar a viabilidade econômica, já difundida em países como Índia, Estados Unidos Canadá e Austrália. Essa Técnica também é usada como ferramenta educacional, por abranger conceitos de engenharia, biologia, ecologia e tratamento de águas. O modelo de produção dribla deficiências que limitam a produção de alimento à agricultura convencional, como por exemplo, escassez de água, uso de terras que não permitem o cultivo convencional de plantas e utilização de nutrientes que seriam eliminados para o ambiente. Combinando peixes, plantas e bactérias em um ecossistema com águas recirculadas de ciclo fechado, acabamos estabelecendo uma relação simbiótica em que os peixes fornecem nutrientes às plantas, para que as plantas e bactérias filtrem novamente a água para os peixes. O resultado esperado é alcançar a produção de subsistência, reconhecer a quantidade de alimentos que podemos cultivar por m2, promover inovação sustentável, conseguir proporcionar a alimentação orgânica dentro do IF Câmpus Camaquã e empreender no ramo da produção orgânica.

registrado em:
Fim do conteúdo da página